Vegetarianos, veganos e macrobióticos: Sabe distinguir?

Os tempos mudam e as consciências também.Vegetarianos, veganos e macrobióticos optam por dietas alternativas que resultam em estilos de vida mais saudáveis. O ID foi tentar perceber as diferenças.

 

Vegetarianismo

É considerada a dieta alimentar mais comum hoje em dia, por ser a menos rigorosa e a mais fácil de seguir. A alimentação vegetariana consiste na não-ingestão de todo o tipo de carnes, incluindo aves, peixe e marisco. Existem diferentes tipos de vegetarianos: os lacto-ovo-vegetarianos, que permitem a ingestão de ovos, de leite e dos seus derivados, e os lacto-vegetarianos, que apenas excluem os ovos, mas mantêm o consumo de leite.

Fotografia cedida por Margarida Rodrigues

 

Margarida Rodrigues, psicóloga de 45 anos, é vegetariana há 10 e acredita ter sido a melhor escolha que fez na vida: “Ficava sempre maldisposta depois das refeições, comecei a aperceber-me que era a carne que me causava mal-estar. Desde que me tornei vegetariana, nunca mais tive problemas com a digestão.” Apesar de não ter sido fácil abdicar de comer carne, a psicóloga afirma: “Na altura, foi complicado aceitar o facto de que não podia comer certas comidas, mas rapidamente me adaptei a esta nova alimentação e, agora, já nem me imagino a comer um bife ou um hamburger.”

Certa das suas convições e com a certeza de que não voltará a comer carne tão cedo, Margarida refere que “ser vegetariana é uma aprendizagem constante e a parte mais interessante é, sem dúvida, experimentar diferentes pratos, conjugar diferentes sabores e aprender a gostar cada vez mais desta alimentação”. Em relação ao porquê de ter optado por uma alimentação vegetariana em vez de uma alimentação vegan ou macrobiótica, a psicóloga afirma: “Não sou fundamentalista e o nosso organismo necessita de diversos alimentos. Como tal, não quero uma alimentação tão restrita como as restantes.” A sua filha, Carolina, já adotou os mesmo hábitos que a mãe e, aos 19 anos, afirma-se também vegetariana.

Veganismo

É sobretudo um estilo de vida rigoroso e de difícil adaptação, por ser tão exigente. Baseia-se num conjunto de regras de forma a proteger os animais e a defender os seus direitos. O veganismo exclui quaisquer alimentos provenientes dos animais, como a carne, o peixe, os ovos, o leite, a gelatina e o mel. No entanto, ser vegano não consiste apenas em mudar a alimentação: estes recusam qualquer produto de origem animal, desde a roupa utilizada até aos vinhos escolhidos.

manzarra
Fotografia do Facebook de João Manzarra

João Manzarra é um apresentador de televisão de 30 anos. Afirmou-se como vegan no dia 21 de Novembro de 2014 e explica agora essa sua opção: “Sempre fui bastante sensível à questão dos animais e da saúde mas, na altura, o que me deixou bastante chocado foi a questão ambiental. Foi o conjunto destes problemas que me fez tomar esta decisão. Foi uma decisão de impulso.”

Embora se identifique bastante com os ideais veganos, considera que é difícil cumpri-los. “Ser vegan é de uma complexidade muito grande e é fácil falhar com os requisitos necessários para o ser. Passa por diversas coisas desde o vinho à roupa, aos materiais, etc. Os produtos utilizados não são testados em animais e a roupa não pode envolver exploração animal ou animais em si. É muito fácil uma pessoa que tenha a intenção de ser vegan falhar porque não se trata apenas da alimentação, mas sim de estar completamente independente dos animais”, refere Manzarra, como é mais conhecido. O apresentador dá um exemplo: “Eu próprio tenho um carro de que gosto muito mas os estofos são em pele, no entanto, achei que não devia deixar de o guiar.”

Preocupado sobretudo com a questão dos animais, relata que “estava farto de ter um peso na consciência, de ser contra, de odiar as imagens da indústria animal, de não conseguir sequer matar um animal, de saber ainda que faz um mal terrível ao planeta. Hoje em dia, se me perguntarem o que é mais forte para mim, o que pesa mais, posso dizer que é a parte dos maus tratos aos animais e, como tal, tenho respondido a esse meu lado mais sensível para esta causa”.

Embora a decisão de se tornar vegan tenha sido pessoal, este afirma que “houve muitas pessoas que se sentiram chateadas por ter feito esta mudança”. A nível profissional, Manzarra considera que esta decisão teve grande impacto: “Perdi bastantes trabalhos de publicidade, apresentações para empresas e na televisão, porque deixei de colaborar com tudo o que envolva exploração animal, desde anúncios de iogurtes, gelados ou qualquer outro produto de origem animal. Apesar do grande impacto que esta mudança de estilo de vida teve na minha vida profissional, não me sinto triste por isso. Tenho uma vida confortável e estou muito melhor assim, a seguir a minha consciência, do que estava antes.”

A nível da saúde, o apresentador não notou grandes alterações. “Sempre fui muito curioso, gosto muito de nutrição e de me alimentar bem. Sempre fiz muita pesquisa e tento ao máximo ter uma dieta equilibrada. O que notei mais na minha saúde foi a nível do sono. Passei a dormir melhor, por fazer bem a digestão. A carne é bastante difícil de digerir. O nosso estômago não está preparado para comer carne. De resto, não digo que comer animais seja algo pouco saudável, se for de forma regrada e em poucas quantidades.” Em relação ao facto de associarem as dietas veganas à fraqueza e ao cansaço, Manzarra desmente: “Faço diariamente desporto de alta intensidade e não sinto nenhuma quebra, pelo contrário, sinto-me bem e cada vez melhor.”

Quando questionado acerca do porquê de ter escolhido esta dieta alimentar em vez de outra, afirma que se identifica muito com as ideologias e os princípios veganos e que a alimentação vegetariana e vegana são idênticas, com a exceção de que os vegetarianos podem ingerir ovos e leite. Em relação à alimentação macrobiótica, considera que esta é bastante diferente das restantes. “Continuo a comer coisas muito gulosas que não fazem parte da alimentação macrobiótica. Esta alimentação inclui muitas vezes peixe e este é um alimento que não consumo”, afirma Manzarra.

Macrobiótica

Esta alimentação teve origem na Ásia e foi desenvolvida por Michio Kushi no final dos anos 70. Devido às influências asiáticas, é comum utilizar-se nesta cozinha alimentos como o arroz, algas marinhas e condimentos asiáticos. A alimentação macrobiótica tem como alimentos base os cereais integrais, as leguminosas, os vegetais e as sementes, e distingue-se das outras dietas (vegetariana e vegan) por ser aceitável o consumo de produtos animais, principalmente o peixe. O estilo de vida macrobiótico constitui uma filosofia de vida que tem como base as leis da natureza e, consequentemente, o objetivo de seguir a ordem natural das coisas (de um ponto de vista biológico, espiritual, ecológico e social). Esta alimentação tradicional chinesa está bastante assente no conceito do Yin (doce, frio e passivo) e Yang (salgado, quente e agressivo), que representam os opostos. Os dois devem estar sempre em equilíbrio.

g
Fotografia do Facebook de Marco Fonseca

Marco Fonseca, chef macrobiótico, afirma que, “apesar de não ter nenhum problema de saúde, decidi apostar numa dieta macrobiótica de forma a melhorar a minha condição física”. As pessoas tendem a escolher a dieta macrobiótica devido, sobretudo, ao fator saúde. Existem, actualmente, vários casos de pacientes que conseguiram curar graves doenças, cancros, por exemplo, através desta alimentação. “Mudar para uma alimentação mais cuidada não altera apenas o nosso físico, faz com que tenhamos uma vida melhor. Tive mais vontade de fazer exercício, durmo melhor e ando mais feliz”, afirma Marco Fonseca. O estilo de vida macrobiótico, apesar de rigoroso, é fácil de implementar, se forem conjugados os ingredientes certos, de forma certa e é isto que um ‘macro chef’ faz. “A alimentação macrobiótica é uma alimentação mais natural em que os ingredientes não são processados”, explica Marco Fonseca.

 

 

 

 

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s