Peter Ceglinski: “O Seabin não é uma solução”

Estudo norte-americano afirma que existem cerca de oito milhões de resíduos plásticos nos oceanos e a tendência é para aumentar. Peter Ceglinski e Andrew Turton, dois surfistas australianos, dizem não ter a solução, mas pelo menos uma alternativa: o Seabin.

Peter Ceglinski é diretor administrativo e executivo do projeto Seabin, um depósito de lixo automatizado que ajuda a limpar os oceanos. Antes disso, foi designer. Cansado de desenvolver produtos que prejudicavam o meio ambiente, decidiu lançar este projeto.

 O Peter é um antigo designer, que trabalhava muito com plásticos, o seu principal “inimigo” neste combate. O que o fez desistir da sua carreira e optar por este projeto?

Deixei a minha carreira de designer porque estava farto de desenvolver produtos que duravam menos que um ano e que podiam ser facilmente descontinuados, para dar lugar a outros produtos mais atuais e inovadores.

x5ijc0szqlhfynj95ls3
Como funcionará o Seabin. Créditos: Seabin.

 Já foram feitas várias tentativas com produtos semelhantes ao Seabin ao longo dos anos e poucas ou nenhumas tiveram sucesso, ou não foram suficientes. Como funcionará e quais são as perspectivas?

Este produto, que é um depósito de lixo automatizado, tem como principal função limpar os micro-plásticos presentes nos oceanos. Apesar das nossas perspectivas, tivemos que decidir manter “os pés assentes na terra”e começar devagarinho. O Seabin não é uma solução, mas certamente ajudará.

Seabin é um projeto que passou por vários testes ao longo de quatro anos. Quais têm sido as principais dificuldades para conseguir conceber este produto?

Manter os seabins a funcionar com diferentes marés.

Além desta espécie de caixote que limpa o lixo, é necessário “moldar” a mente das pessoas, de forma a não tornar insustentável e ainda mais grave a poluição nos nossos oceanos. De que forma pensam fazer isso?

Educando os consumidores. Esta é a única solução, no fim de contas. Estamos a desenvolver um programa interativo, que será exposto nas escolas e, em particular, nas escolas de desporto, para os alunos aprenderem mais sobre este projeto.

 Sendo um produto relativamente pequeno, que área é que este aparelho consegue limpar?

Surpreendentemente, consegue atingir uma grande área. O vento e as fortes correntes trazem a poluição até onde os seabin estão estrategicamente colocados.

Veja o vídeo: http://www.wirewax.com/view/8033718

Os seabin são bombas que limpam o óleo, plástico e todo o tipo de resíduos. Há alguma hipótese que este produto seja prejudicial aos animais?

Sim. Existe a possibilidade de estar algum peixe num dos nossos caixotes durante a extração da poluição. O peixe pode ser apanhado pelo caixote e ser expelido, mais tarde, do seabin. Estamos a trabalhar na adaptação do nosso produto à vida marinha.

Custos

O seabin é ainda um protótipo, mas sei que os prognósticos para o lançamento do produto apontam para o fim deste ano. Como se poderá adquirir este produto e quanto irá custar?

Estamos neste momento a desenvolver o seabin versão 5, que estará disponível para pequenas marinas e barcos de pesca [a versão 4 estava apenas disponível para pequenas marinas]. Esperamos ter mais informações sobre preços e outros detalhes para Julho e Agosto. Podem ter acesso a essas informações na nossa página de Facebook “The Seabin Project”.

 Além do custo para se adquirir este equipamento, também é necessário pensar na sua manutenção. De quanto em quanto tempo é necessário limpá-lo para voltar a reutilizar?

As marinas que estão a desenvolver e a instalar os seabins vão ser também aquelas que vão tratar da manutenção dos mesmos. Esperamos que as marinas verifiquem os seabin duas vezes por dia.

A Paralu Marina é uma das vossas parcerias. Têm sido muitas as parcerias e donativos?

De momento, estamos em parceria com a Paralu Marina, que nos ajuda no fabrico e na distribuição. La Grande Motte, marina que pertence ao Governo francês, está também envolvida.

Sendo um produto para superfícies pequenas devido ao vento e às fortes correntes, será possível pensar este projeto para colocação em oceanos ou o alvo continuará a ser as pequenas marinas, portos e clubes náuticos? Quais são os próximos objetivos?

Sim, com certeza. Temos imensas ideias. Algumas grandes, outras enormes e outras apenas para o futuro. Esperamos ter o primeiro seabin, aproximadamente, no final deste ano e esperamos, apesar de começarmos devagar e apenas em pequenas marinas, conseguir atingir progressivamente os oceanos.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s